Colar de Âmbar para bebes, comprar colar de âmbar – O âmbar é uma resina fóssil encontrada singularmente na localidade do Mar Báltico e que vem sendo qualquer vez mas empregado por suas propriedades medicinais quando está em contato com a pele.

A prática já era bastante geral na Europa. Porém, há pouco, quando a padrão brasileira Gisele Büdnchen colocou o colar de âmbar em sua filha mas novidade, o tema repercutiu e varias mães e pais brasileiros passaram a saber o colar e a usá-lo em seus bebês.

Conquanto, conforme a pediatra Marcia Yamamura, não há estudos científicos conduzidos que comprovem o seu real efeito e também nenhum efeito paralelo. “O colar de âmbar, por efeito de suas propriedades analgésicas e anti-inflamatórias naturais, está sendo amplamente utilizado para atenuar o desconforto na erupção dos dentinhos nos bebês. Porém, quando falamos sobre bebês e tudo que se cita a eles, devemos constantemente ter muita cautela”, afirma a médica.

As vantagens do colar de âmbar

Os primordiais melhoras seriam proporcionados pelo o ácido succínico, que está presente no âmbar e é liberado quando a resina entra em contato com a pele. São eles:

  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Melhora o sistema nervoso;
  • Possui propriedades anti-inflamatórias;
  • Atua como um relaxante muscular.

Por essas ganhos, varias mães e pais optam pelo uso do colar de âmbar nos filhos durante a temporada de odontíase, acreditando que de, o bebê irá sentir menos os incômodos comuns nesse temporada. Nada obstante, a Associação Brasileira de Odontopediatria não recomenda o uso, principalmente devido do risco de asfixia.

Cuidados com o colar de âmbar

Um dos primordiais cuidados possui a ver com o risco de estrangulamentos. Segundo a pediatra Marcia Yamamura, não é recomendado o uso de nenhum gênero de de colar ou cordão em bebês. “O uso do colar de âmbar deve ser continuamente monitorado e em tempo integral, o que na prática se transforma em impraticável. O bebê deve arrancar ou estoirar acidentalmente, ingerir as pedrinhas ou mesmo estrangular-se caso o cordão fique recluso em alguma parte ”, alerta Marcia.

Uma opção seria utilizar o âmbar em pulseiras e tornozeleiras. “ Porém, nada obstante, o risco do bebê estoirar o colar e colocar o objeto à boca existe”, diga a médica.

Caso o bebê vá verdadeiramente utilizar, a profissional lista pequeno número de dicas essenciais :

  • Retirar o colar para dormir;
  • Examinar sempre se o cordão está em bom estado, porque, caso esteja desgastado, a ansa de romper é maior;
  • Conferir continuamente o fecho, que deve ser de rosquear;
  • Ter atenção para eventuais alergias que o colar tenha como ocasionar na localidade do pescoço;
  • Caso o bebê se sinta amolado ao colocar, retire urgentemente. Há pequenos e adultos que não suportam colares.

Atenção na hora da compra

O montante do colar varia conforme o classe do âmbar: quanto mas polido e lapidado, mas custoso. Em média, este gastos entre R$ 65 e R$ 90.

É essencial também checar a autenticidade do produto, porque há imitações de plástico, vidro e outros materiais. Uma forma de testar é encostando no produto, visto que o âmbar é morno, enquanto as imitações costumam ser mas frias que a pele.

Se já possuir comprado, é provável colocar uma pinga de álcool ou acetona e observar se isso gera alguma alteração. Caso altere a cor ou fique mas pegajosa, não é original.

 

Nossa experiência com o colar de âmbar, por Rê Louro

A youtuber conta que começou com a pulseira, por instabilidade, porém acabou mudando para o colar, e fala de como foi o resultado com seu rebento, que nunca teve febre ou soltura devido do promanação dos dentes, além de ter tido um sono mas tranquilo.

O que é âmbar – minha experiência com o colar, por Michelle Souza

Michelle diga que o colar influenciou bastante na vida do fruto e que pretende, até, utilizar nela mesma e no marido, porque não notou nenhum incômodo e percebeu que os desconfortos foram reduzidos.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*